Precificar corretamente o seu conteúdo é uma etapa fundamental da proposta do Close Friends, que desempenha o papel de aumentar potencialmente o retorno financeiro efetivo advindo das assinaturas, deslanchando também na frente da concorrência. 

Primeiro, é preciso entender que a precificação no mercado digital é diferente do físico. 

Quando se trata de um produto convencional, na hora de fixar o preço levam-se em conta algumas variáveis, como o custo de fabricação, a projeção de retorno lucrativo, os gastos com a divulgação e os valores dos insumos integrantes do processo produtivo. 

É realizada uma operação com todos esses componentes, chegando então no preço final do produto. 

Já no caso de produtos digitais, é mais difícil antecipar quantas vendas serão completadas e consequentemente seu respectivo custo produtivo. 

Outro conceito que deve fazer parte desse raciocínio é o de Lucro Líquido.
Chega-se nesse valor diminuindo os custos de execução, do montante total de ganho. 

Se tratando do Close Friends especificamente, os custos de produção do conteúdo não aumentam à medida que novas assinaturas são feitas. Dessa forma, não é possível pautar a nossa análise de precificação a partir das mesmas operações de um produto convencional. 

A principal dica desse artigo é entender o seu público-alvo e o valor que o produto oferecido agrega a ele. Comece com as seguintes perguntas: Quem são as pessoas que estariam dispostas a comprar o meu conteúdo? Quanto elas pagariam para ter acesso a ele?

Saber para quem o seu conteúdo se endereça é a primeira consideração no processo de precificação, assim é possível entender quanto o seu público está disposto a pagar por ele, direcionando melhor as estratégias de conversão. 

Concluindo, a precificação deve se nortear primordialmente pelo entendimento do público-alvo, antecipando sua receptividade e adesão à conjuntura digital vinculada ao produto, assim como a sua percepção de razoabilidade do valor da assinatura. 

Se você não tem uma ideia muito clara sobre isso, use seus stories. Faça uma enquete perguntando aos seus seguidores, se eles gostariam que produzisse um conteúdo mais aprofundado sobre x assunto, ou se gostariam de acompanhar algo que você faz. 

Depois de entender se existe a demanda para a venda do conteúdo, pergunte também sobre valores!

Veja as seguintes dicas:

  • É sempre importante estudar como concorrentes do mesmo segmento vem se portando no mercado. Contudo, não se esqueça que o seu conteúdo apresenta seus próprios diferenciais, sendo a análise mercadológica apenas um elemento que incorpora o processo de precificação. 
  • Deve-se ter em mente, que toda compra é emocional. Para acertar essa esfera, é vital agregar valor ao produto no primeiro momento de apresentação ao cliente, permitindo que se projete e vislumbre todas as propostas positivas e de melhoria oferecidas para a sua vida. 
  • Cobrar preços muito baixos não seduz o cliente! Estatísticas demonstram que cobiçamos o que é mais caro, pois interpretamos como indício de qualidade. Portanto, não tenha vergonha de cobrar pelo seu conteúdo, e reconheça que entrega algo diferenciado e potencialmente transformador para o cliente. 
  • Diante disso, entenda o compromisso com a elaboração desse conteúdo, lembrando que qualquer modalidade de assinatura exige uma produção elevada e de qualidade, pois se seus clientes não forem constantemente abastecidos, não fará sentido para eles. 
  • Oferecer mais de uma modalidade de plano, com descontos embutidos nos de maior período, estampa um gatilho de oportunidade valiosíssimo como estratégia de conversão. Promover opções das quais seja possível escolher um meio termo, também é uma boa pedida. 
  • De início, talvez seja mais vantajoso fixar preços mais baixos e classificar sua base de clientes, podendo valorizar o seu conteúdo futuramente. A situação inversa causa desconfortos em quem já havia assinado o conteúdo. 

A funcionalidade de Close Friends permite que você realize testes de preços até alcançar o seu objetivo principal, então tome essa oportunidade e estude o cliente já conquistado, entendendo quem está sendo atingido pela sua campanha e se orientando a partir disso, ou até mesmo mudando o plano de ação!

Espero que esse artigo tenha te ajudado! Caso fique alguma dúvida, chame a gente no canal de Suporte.

#vamosjuntos

Encontrou sua resposta?